Começou a melhorar: projeto piloto facilita entrada de brasileiros nos os EUA

Começou a melhorar: projeto piloto facilita entrada de brasileiros nos os EUA

3 292
O GEP vai facilitar a entrada dos viajantes brasileiros para os EUA

Os brasileiros serão os primeiros viajantes sul-americanos com entrada facilitada pela Imigração dos Estados Unidos. O Consulado Geral norte-americano em São Paulo anunciou nesta segunda-feira um projeto-piloto no qual os brasileiros poderão entrar naquele país após a identificação do passaporte e das digitais em um quiosque eletrônico. O chamado Viajante Confiável ou Global Entry Program (GEP), não dispensa o visto americano e estará disponível em 20 aeroportos, inclusive Miami e Nova York, dispensando a fila na Alfândega.

O programa vai selecionar inicialmente 150 brasileiros com visto de negócios (B1)

Em um projeto-piloto ainda tímido, o governo americano vai começar a livrar alguns brasileiros das longas filas de imigração nos principais aeroportos dos Estados Unidos. O programa, conhecido como Global Entry, vai selecionar inicialmente 150 brasileiros com visto de negócios (B1) para entrar naquele país passando apenas por um quiosque automático, sem pegar fila.

Depois de um ano, o programa vai ser estendido para 1,5 mil turistas. O objetivo é diminuir em até 70% o tempo de espera do passageiro na imigração. O acordo entre os governos americano e brasileiro para colocar em prática o Global Entry deve ser assinado em maio.

As 150 pessoas que podem ser recrutadas nessa fase inicial, contudo, fazem parte de um grupo bem restrito: executivos que viajam com frequência para os Estados Unidos, imprensa e trabalhadores de agências de viagens e empresas aéreas.

É o primeiro passo para a isenção de visto para brasileiros. A ideia é que, se você é Global Entry, não deve precisar de visto”, diz o adido de alfândega e proteção de fronteiras, Jaime Ramsay. Hoje, porém, o visto ainda é necessário, independentemente do Global Entry.

Por uma taxa de US$ 100 (R$ 181), que não é reembolsável mesmo em caso de rejeição no GEP, o viajante terá cinco anos de entrada facilitada mediante inscrição e uma “conferência rigorosa” dos documentos. A facilidade é recomendada em especial para viajantes frequentes, como membros de agências de viagens, executivos e imprensa. Atualmente, o programa está disponível para cidadãos norte-americanos, holandeses e mexicanos. A participação do Brasil ainda depende de aprovação do governo brasileiro. Nesta fase inicial, até 1,5 mil brasileiros pode ser contemplados.

O adido de alfândega e proteção de fronteiras, Jaime Ramsey, afirmou que este pode ser o primeiro passo para extinguir a exigência de visto para brasileiros entrarem nos EUA. “Eu acho um absurdo que se você já é parte do GEP, é baixo risco, tenha que renovar visto”, declarou. Para o embaixador norte-americano, é uma mostra do aquecimento na relação entre os dois países. “É uma mostra da confiança dos EUA no Brasil e também o interesse que brasileiros têm em viajar ao nosso país e dos norte-americanos em vir ao Brasil”, declarou o embaixador Thomas Shannon.
Concessão de vistos nos Consulados Americanos
O Consulado informou que a Missão Diplomática dos EUA no Brasil processou 944.868 vistos em 2011, aumento de 51% em relação a 2010. Em 2012, até fevereiro, foram processados 181.318 vistos no Brasil. O Departamento de Comércio dos EUA calculam em 1,5 milhão os brasileiros que visitaram os EUA em 2011, crescimento de 25% em relação a 2010. O Brasil é a quarta maior origem de turistas para os EUA, perdendo apenas para Reino Unido, Japão e Alemanha.

O incremento da emissão de vistos vai de encontro com as necessidades de aquecimento da economia norte-americana. Cada brasileiro gasta em média US$ 5 mil (R$ 9 mil) no país a cada viagem.

Nota do Editor: Nada mais justo para nós brasileiros essa facilitação.

Com informações do Portal Terra e da Gazeta Online

Se vc curtiu ler este post então se torna nosso Fã no Facebook, vai lá. Clique aqui. Obrigada.

3 Comentários

Deixe um comentário